O caso de R.

Conversando com R., uma cliente, ela me disse que havia gostado tanto da maneira como eu havia trabalhado uma de suas questões que queria compartilhar isso com os demais. Assim, com sua permissão, apresento aqui a interpretação de uma tiragem que fiz para ela, da maneira como me lembro — a imagem que ilustra esta postagem foi tirada no momento da leitura.

R. sempre quis ser uma escritora, algo que nunca aconteceu porque todos à sua volta lhe diziam que essa não era uma carreira que poderia prover seu sustento, devendo ser, no máximo, um hobby em sua vida. De tanto ouvir isso, acreditou que era verdade, guardando o desejo lá no fundo de seu coração, enterrado por baixo de outras coisas.

Isso, consequentemente, fez com que se sentisse perdendo sua criatividade até que, recentemente, ela se permitiu voltar a trilhar o caminho da escrita. Contudo, todos os anos de repressão do desejo ainda machucavam. Some-se a isso o fato de ter perdido o pai aos 20 anos, depois de 7 anos de luta contra uma doença grave.

Era como se sua criança interior ainda carregasse essas cicatrizes do não e do isso não vai dar certo. Ela queria curar isso.

Assim, escolhi uma tiragem muito específica para esse caso, uma que lida com nossa criança interior mesmo. São quatro cartas:

1. Quem é sua criança interior?
2. Como ela está agindo e lhe causando problemas?
3. Qual área da sua vida melhorará se você deixar que sua criança interior brinque ali?
4. Como curar seu relacionamento pessoal com sua criança interior?

Assim, usando o Barbieri Tarot, fiz a leitura.

1. Quem é sua criança interior?
8 de espadas:
alguém em vermelho espreita, à frente uma jovem segura um punhal.
A criança interior de R. é alguém que permite que seus medos a prendam, chegando ao ponto de considerar não agir para não deixar que fatores externos interfiram com seus desejos (se não criar expectativas, não ficará desapontada). Vejo isso como um reflexo do fato de R. ter precisado crescer logo, sozinha, uma vez que seu pai cruzou o véu que leva ao Outro Mundo quando ela ainda era jovem.

2. Como ela está agindo e lhe causando problemas?
6 de copas:
uma garota segura uma ampulheta, um dragão pode ser visto ao fundo.
A criança interior de R. age ao fazê-la se lembrar dos tempos de outrora, forçando-a a encarar o passado com uma nostalgia inocente. De certa maneira, essa viagem ao passado está carregada de culpa, como se ela acreditasse que poderia ter feito algo de diferente em sua vida (como começar uma carreira de escritora bem mais cedo). Contudo, a questão é que todas as experiências de R. a fizeram ser quem é hoje — mudar uma única linha do passado mudaria sua essência atual, e isso nem sempre é para algo melhor. — Assim, que R. sim revisite seu passado, mas que o deixe ali, onde é o seu lugar.

3. Qual área da sua vida melhorará se você deixar que sua criança interior brinque ali?
8 de copas:
uma jovem se abraça, com um ser mascarado e de chifres ao fundo.
É preciso que R. deixe sua criança interior livre, sem que R. fique presa a ela. É preciso deixar os grilhões de outrora para trás e permitir uma reaproximação no presente. E é evidente que essa carta dá seguimento ao que vimos nas duas cartas anteriores, o que reforça a ideia de deixar a criança fazer o que ela desejar. E, se tudo o que a criança interior deseja é reencontrar o passado, que ela faça isso, deixando R. livre para viver o presente.

4. Como curar seu relacionamento pessoal com sua criança interior?
Rei de ouros:
um homem maduro segura um arco e viaja com o sol às suas costas — há uma pitada de Apolo aqui.
É preciso que R. seja madura, que tenha os pés no chão. R. precisa ser a força por trás daquilo que dá base à sua vida. Quando ela se tornar mestra de si mesma, reinando de verdade sobre sua vida, será capaz de curar o relacionamento com sua criança interior. Ou seja, a criança interior precisa de alguém que cuide das coisas de adulto para que ela possa se comportar mesmo como criança. Então, que R. seja essa pessoa. Que tenha em mãos as rédeas de sua vida, traçando o próprio destino.
R., em verdade, precisa ser a Deusa que sempre deveria ter sido em sua vida.

Ao somarmos todas as cartas, fazendo uma redução tarológica, chegamos ao número 22, que corresponde, nesse caso, a’O Louco, o Arcano sem número. Assim, como último conselho, digo a R. que ela deve permitir que O Louco segure sua mão e lhe mostre que não há nada pré-definido em sua vida, estando ela livre para fazer de seu destino aquilo que bem desejar, não se prendendo aos julgamentos que ouviu desde pequena.

Ela tem lágrimas nos olhos e um sorriso sincero nos lábios. R. me agradece pela interpretação e diz que agora sabe como lidar com a jovem R. que se perdeu em um mar de nãos no passado.

Energia da Lua Nova em Capricórnio

New MoonAproveitando a primeira Lua Nova do ano, que entrou ontem à noite, e o fato de ela estar agora transitando em Capricórnio, que tal pegar seu tarot e descobrir que conselhos ele traz neste momento?

Uma lua em Capricórnio nos revela um período de foco naquilo que vai durar, naquilo que precisa ter uma forte base para crescer. A tiragem que indico hoje lida exatamente com isso.

1. Reconsideração
Que planos feitos no passado precisam ser revistos?

2. Responsabilidade
Como lidar com aquilo que está hoje em suas mãos?

3. Foco
Qual novo objetivo eu devo buscar?

4. Meio
Qual a melhor maneira de alcançar esse novo objetivo?

Essas quatro cartas trazem a essência daquilo que a energia dessa Lua Nova em Capricórnio quer lhe dizer.

Mas e você? Como vai aproveitar essa energia ao máximo?

Ele vai voltar?

3oSJunto com Ele me ama?, Ele vai voltar? é a pergunta que disputa o primeiro lugar entre as feitas pelos clientes. É algo muito comum, principalmente por ser difícil aceitar que certas coisas têm de chegar ao fim.

Às vezes, esse fim é apenas uma pausa, preparando ambos para um retorno verdadeiro.

Outras vezes (a maioria, sinto dizer), o fim é realmente definitivo, por mais que haja apego, dedicação, entrega… e esperança. E por conta disso, você coloca tudo de lado esperando que a pessoa volte: você se fecha para sua vida, e até para novos relacionamentos, procurando encontrar um meio para que vocês voltem a estar juntos…

E aí, com o coração apertado, você vem e me pergunta: Ele vai voltar?

Uma pergunta que, à primeira vista, tem como resposta sim ou não. E eu, usando um oráculo com 78 cartas (e muito mais do que 78 respostas), tenho a vontade inicial de recomendar que você consulte o oráculo da moeda (cara é sim, coroa é não)… Mas a vontade passa e eu começo a embaralhar as cartas, procurando orientar da melhor forma possível.

Veja, o que eu faço é ajudar o cliente a entender a situação em que está e como resolvê-la. Isso é muito mais importante do que simplesmente dizer sim ou não para algo, pois coloca ativamente nas mãos do seu cliente as rédeas do destino. Com a compreensão da situação, cabe a ele decidir seguir em frente com sua esperança (enfrentando os desafios) ou deixar isso para trás.

Para tanto, sugiro a seguinte tiragem com 4 cartas, que chamo de sidecore (baseado nas iniciais das posições das cartas):

  1. Situação: onde você está agora, o que você está realmente vivenciando.
  2. Desafio: colocada de maneira cruzada sobre a situação, revela os obstáculos a enfrentar.
  3. Conselho: como o tarot lhe orienta neste momento.
  4. Resultado: seguindo o conselho, o que você vai alcançar.

Dessa maneira, ao invés de simplesmente dizer se ele vai voltar, eu mostro ao cliente o que ele precisa fazer para lidar com a situação e, com isso, atingir um resultado que leve sua vida adiante.

E você, como lida com isso?

Tiragem de Litha para o Caminho do Tarot

20151221_211303Hoje, em pleno Solstício de Verão, fiz a tiragem que comentei há poucos dias, focando nesta página e o que o destino lhe reserva neste momento. Que sirva como exemplo daquela tiragem para quem busca orientação, e que sirva de lição para mim.

Nascer do sol (6h17): os presentes que lhe serão entregues.
Princesa de Espadas. Uma nova visão do que vem pela frente é o principal presente, trazendo presságios e augúrios… Bons ou não, depende do que for feito com esse conhecimento.

Início da manhã (8h33): a inspiração que vai lhe guiar.
2 de Ouros. Tudo ao mesmo tempo, e isso torna o desafio ainda maior. Aprender a manejar o tempo e dividir o foco será algo muito inspirador sob o sol de Litha.

Meio da manhã (10h49): o que em você vai ser acentuado e brilhará.
I. O Mago. Tudo o que a página já tem será a chave para o sucesso. Como um novo começo, tudo será potencializado e ganhará destaque.

Zênite (13h05): sua maior força.
Rainha de Paus. O desejo de agir e a maneira como isso seduz quem busca os mistérios é a característica mais forte.

Início da tarde (15h21): seus maiores desafios.
Ás de Espadas. Ter todo o potencial traz dificuldades, principalmente quando muito pode ser feito no campo intelectual mas precisa ser selecionado antes para que se mantenha um ritmo de postagens. Contudo, o maior desafio envolve o potencial de comunicação: na internet isso signifuca divulgação, e será algo que trará bastante dor de cabeça para ser superado.

Meio da tarde (17h37): a razão desses desafios surgirem agora.
II. A Sacerdotisa. A página está se revelando para o mundo, precisando ser descoberta. Como permitir que isso aconteça é uma habilidade que ainda precisa ser desenvolvida.

Ocaso (19h53): o que você conseguirá ao superá-los.
5 de Espadas. O Caminho do Tarot aprenderá que não se vence todas as batalhas, mas também que a derrota ensina muita coisa. Assim, é provável que aprender a divulgar corretamente traga pouco resultado imediato, mas bastante know-how que poderá ser aplicado no futuro.

Redução tarológica para conselho e síntese: XI. A Justiça. Toda ação tem reação. Saiba escolher o que vai plantar para não se culpar (ou culpar o destino) quando for colher.

Todo início é difícil e as cartas mostram isso. Mas também revelam que muito poderá ser ganho se agirmos com perseverança e foco. Aquele 2 de Ouros me mostra que vou ter de conciliar muita coisa para tornar possível o sucesso… mas quando o sucesso é a única possibilidade, basta seguir nossa vontade verdadeira.

E para vocês, o que o tarot lhes diz em Litha?

Solstício de Verão 2015

SolDia 22 de dezembro, às 2h48 (na madrugada do Horário Oficial do Brasil) o sol estará em seu momento de maior declinação em latitude, marcando o início do verão e nos agraciando com o dia mais longo do ano. Nesse momento, no instante do Solstício, também se comemora Litha, um festival pagão que simboliza o poder do sol, pois a partir desse instante (até o solstício de inverno, quando se comemora Yule), os dias se tornam cada vez mais curtos.

Por ser um momento ideal para desenvolver a plenitude do poder solar, é também um marco mágico. Na véspera (amanhã, dia 21), todas as formas de magia (especialmente as amorosas) se tornam ainda mais potentes, e tudo o que for sonhado (acredita-se) tornar-se-á real.

Em honra ao sol e em virtude do momento místico a ser vivenciado, coloco aqui uma tiragem especialmente focada em Litha. O ideal é que as cartas sejam tiradas no momento do solstício, mas certa tolerância quanto ao horário é possível (se você não se sente bem tirando cartas no meio da madrugada, seja por conta do cansaço ou qualquer outro motivo, faça isso antes de dormir ou ao acordar). Nesta tiragem, usaremos 7 cartas, que serão dispostas em semicírculo da direita (leste, nascente) para a esquerda (oeste, poente):

  1. Nascer do sol (6h17): os presentes que lhe serão entregues.
  2. Início da manhã (8h33): a inspiração que vai lhe guiar.
  3. Meio da manhã (10h49): o que em você vai ser acentuado e brilhará.
  4. Zênite (13h05): sua maior força.
  5. Início da tarde (15h21): seus maiores desafios.
  6. Meio da tarde (17h37): a razão desses desafios surgirem agora.
  7. Ocaso (19h53): o que você conseguirá ao superá-los.

Que haja abundância e prosperidade em Litha, e que o verão lhe traga a força para crescer!