Justiça e Força

Justiça e ForçaVocê pega seu Tarot de Marselha, estuda os Arcanos Maiores, e encontra a certeza de que tudo está correto nos planos intuitivos e racionais, aceitando que Justiça seja o oitavo Arcano e Força seja o décimo-primeiro. Afinal, como discutir com um tarot tão antigo?

Aí você resolve pegar seu Rider-Waite-Smith e, quando passa a estudar, nota que o oitavo Arcano é agora a Força, restando à Justiça o décimo-primeiro lugar. Como esse é um tarot feito em 1909 (recente, portanto), deve haver algum erro, certo?

A resposta curta é: depende.

A resposta mais aceita é que foram usadas correspondências diferentes. Aceita-se isso e move-se em frente. Fácil, não é?

Só que, em qualquer estudo profundo, respostas fáceis podem camuflar a verdade que se deseja encontrar. Eu apresento aqui uma das versões que explica qual a ordem que eu considero (na minha humilde condição de eterno aprendiz) a mais correta.

Durante a jornada do Louco, que passa pelo plano Material (infância, aprendizado), atravessa o plano Mental (adolescência, companheirismo), e chega ao plano Espiritual (fase adulta, maestria), cada Arcano Maior tem seu lugar. Neste caso, analisemos os Arcanos que compõem o plano Mental (Arcanos VIII a XIV):

Depois de ter conseguido o sucesso sobre o plano Material (com VII. O Carro), o Louco se coloca em jornada pelo plano Mental. E o que ele precisa fazer? Dominar seus instintos básicos, suas feras interiores, sua Força. Isso faz com que ele possa buscar em seu íntimo o conhecimento que o Eremita traz, o que permite que ele tenha a sabedoria para lidar com a natureza cíclica que A Roda da Fortuna lhe reserva. Como consequência, isso o leva ao equilíbrio que é esperado da Justiça.

Portanto, é a consciência de sua força de vontade, de sua empatia, que leva ao equilíbrio. Isso permite que a razão (processo secundário) derive do domínio da emoção (processo primário): agimos pelo instinto antes de termos capacidade de desenvolver um processo racional.

Nesse sentido, via de regra concordo com a posição dos Arcanos de acordo com a tradição criada por Rider-Waite-Smith.

Mas sabe por que eu disse que concordo com isso via de regra? Porque nem sempre sigo essa ordem.

Certo, Marcelo. Você está começando a confundir a gente agora.

Bem, terça-feira é dia de discussões, não é? Além do mais, minha primeira resposta para essa controvérsia foi depende. 😉

O que sigo, de fato, é a ordem apresentada pelo tarot que estou usando no momento. Se pego um tarot da tradição de Marselha, considero certo que Justiça é VIII e Força é XI. Mas, se estou usando um tarot da tradição RWS, não tenho dúvidas acerca de colocar a Força como VIII e a Justiça como XI. É com aquela ferramenta que estou trabalhando no momento, e é usando a egrégora com que ela foi criada que interpretarei as lâminas que me aparecerem.

Contudo, se eu estiver tratando genericamente de um estudo tarológico, e não me for apresentado um tarot concreto com que trabalhar, vou assumir que Força é VIII e Justiça é XI, como se eu estivesse lidando com um tarot RWS. Ou seja, salvo prova em contrário, sigo a interpretação de A. E. Waite.

E você, como lida com esses dois Arcanos Maiores?

Deixe um comentário