Profissionalismo

8oPUma das mais respeitadas tarólogas da atualidade é Mary K. Greer. Seu livro 21 ways to read a tarot card é um dos que mais gosto de reler, principalmente pelos insights que ela nos dá.

A discussão que quero levantar é acerca da ideia de que alguns têm acerca de cobrar ou não as leituras, interpretações e orientações que dão a seus clientes. Deve-se cobrar? Por ser um dom (anos de estudo nada contam, não é?) devemos usá-lo graciosamente?

Eu acredito que, em troca de nossas orientações e nosso tempo, é preciso uma contrapartida. É isso o que ensino aos meus alunos. Mas, se você não quiser acreditar em mim, aqui está um pouco do que Mary K. Greer diz sobre o assunto (tradução livre minha):

  • Se seu conselho vale ser ouvido, também vale dinheiro.
  • Dê valor a si mesmo e à sua leitura, mas não exagere.
  • Cobre, pois se você não o fizer você precisará fazer outra coisa para ganhar dinheiro e, então, acabará traindo o seu dom por não ter tempo para usá-lo.

E você, o que tem a dizer sobre isso?

2 thoughts on “Profissionalismo

  1. Ana Lucia Della Mônica

    Eu concordo plenamente, pois temos que dar valor ao que pudemos aprender e sei que não é tão simples assim aprender tarô como muitos acreditam, por isso cobraria sim, já que não deixa de ser um trabalho e como tal deve ser recompensado.

  2. Josilaine

    Totalmente concordo! Fora o desgaste energético que você tem, é muito justo e natural que haja uma contrapartida.

Deixe um comentário