Tiragens improvisadas

Dados de TarotConsiderando o caos da evolução humana, e a sequência de acasos singelos que deu vida a tudo neste planeta, assim como o mero acaso de 1 entre 250 milhões de espermatozoides ter dado origem a mim.

É muito acaso junto. É muita coincidência.

E, em meio aos acasos da vida, uma coisa que pode surgir de vez em quando é aquela questão de um cliente que, via de regra, não se encaixa em tiragem padrão alguma.

Entenda como tiragem padrão toda tiragem que o tarólogo tem memorizada ou de fácil consulta, podendo se encaixar para os mais diversos assuntos. Não existe, porém, algo que seja genérico, e cabe a um bom profissional aplicar sua teoria ao caso concreto.

Mas o que fazer nesses casos incomuns? Simples: improvise uma tiragem.

Sério.

Afinal, o que é uma tiragem (ou mandala, ou qualquer outro nome bonitinho que você quiser usar)? Em termos bem simples (simples mesmo), é como se fosse uma frase com lacunas, que você pode preencher de acordo com critérios.

Vamos a um exemplo. Digamos que você tenha de preencher a seguinte frase:

  • (nome de um amigo) comprou (um objeto) quando tirou férias em (nome de cidade).

Você poderia dizer algumas destas frases:

  • João comprou um carro quando tirou férias em Paris.
  • Roberto comprou um ioiô quando tirou férias em Votuporanga.
  • Assis comprou um chapéu quando tirou férias em Sergipe.
  • …e assim por diante…

Como você pode ver, as possibilidades são virtualmente infinitas. É assim com o tarot.

Portanto, se você estiver diante de uma questão difícil de interpretar com as tiragens que conhece de cor, por que não usar algo improvisado, voltado especificamente para seu cliente e para a questão que ele traz a você? Contanto que você foque nas lacunas que determinou, é possível investigar qualquer assunto.

Esse é o método que uso quando diante de uma situação muito inusitada. Qual o seu?

One thought on “Tiragens improvisadas

  1. Josi

    Usei a tiragem sugerida por você Marcelo, sobre o momento atual, o real desejo e a ponte. Gostei muito dessa abordagem. Abraços.

Deixe um comentário