Steampunk Tarot – Opiniões

20151221_194935-1Sempre gostei da estética steampunk: ciência anacrônica, ideais Vitorianos, engrenagens e corsets… Meu primeiro contato se deu, indiretamente, por conta do meu pai, que me incentivou a ler Vinte mil léguas submarinas, o primeiro (de dezenas) que li de Jules Verne. Foi amor à primeira vista.

Quando vi que Barbara Moore estava por trás de um novo tarot steampunk fiquei extasiado: era uma oportunidade para unir duas paixões. Com uma visita a uma loja online eu tinha já a caixa a caminho de casa.

A caixa acompanhava um livreto muito bem escrito. Logo de cara gostei das observações sobre a sinergia de algumas cartas, coisa que muitos iniciantes deixam de perceber: como todo livreto que acompanha um tarot é geralmente voltado para iniciantes, achei a ideia muito boa (e, em verdade, já recomendei algumas vezes a um neófito que começasse por este ao invés do tradicional RWS).

Por falar nisso, o Steampunk Tarot é um RWS ricamente decorado com sua paleta cobre, bronze e marrom. As personagens das cartas, trajadas de acordo com a estética do tema, têm um ar aventureiro, ousado, e convidativo. Símbolos místicos aparecem em algumas cartas como um sinal de que há algo mais para quem deseja estudar, sem que isso faça com que o tarot se torne obscuro ou hermético. Tudo é bem dosado.

Algumas das cartas que me chamam a atenção neste tarot são:

O Louco: um limpador de chaminés que ficaria bem à vontade numa história de Dickens.

II. A Sacerdotisa: diante de uma bola de cristal e segurando algumas cartas de tarot, pronta a revelar o que nós já deveríamos saber.

III. A Imperatriz: grávida, encantadora, sedutora e dominando as artes místicas.

XIII. A Morte: uma ceifadora alada que deixa os viventes para trás, montada num cavalo (e aí eu lembro da figura do Vingador no desenho Caverna do Dragão: alado, montando um cavalo).

XV. O Diabo: um colosso construído por mãos humanas que agora exige obediência, tornando os criadores escravos de sua criatura.

10 de Paus: uma jovem que carrega mais do que deve nas costas, caminhando pela noite em busca de um lugar seguro enquanto segue cartas de tarot deixadas pelo caminho.

Sei que este é um tarot que não vê tanto uso nas minhas mãos hoje em dia, pois o guardo para momentos que envolvam o tema ao qual ele se remete – tanto que o uso mais em eventos steampunk do que no meu dia a dia. Ainda assim, ele possui algo de especial que chega a ser intangível…

Recomendado para quem:

  • gosta da estética steampunk
  • tem predileção por tarots mais escuros
  • quer um RWS com algo de diferente

Não recomendado para quem:

  • não gosta de engrenagens e corsets
  • acha que a Era Vitoriana deve ficar no passado
  • tem algo contra os tarots feitos pela Barbara Moore

Steampunk Tarot
Criado por Barbara Moore
Publicado por Llewellyn, 2012
XI Justiça, VIII Força

Deixe um comentário