Fenestra Tarot

O Fenestra Tarot é lindo. Comecemos por aí. Cada uma das imagens se apresenta como se olhássemos por uma janela, mergulhando em cada Arcano que ali se coloca — o que não surpreende o mais atento leitor, uma vez que fenestra significa janela.

Suas cores puxam para tons de terra, mas toda a concepção imagística retém uma doçura única, com traços leves e de ligeira influência oriental (afinal, a artista Chatriya Hemharnvibul é tailandesa — e você pode ver mais de sua obra nesta galeria online). É uma obra de arte que merece ser apreciada, além de ser um tarot com sublime simbolismo.

Faz uns quatro anos que eu o adquiri, talvez mais. Foi uma compra de impulso, mas não me arrependo, pois acabo usando esse tarot com certa frequência. Em geral, ele me chama de vez em quando para lidar com uma cliente que precise da sintonia de suas imagens.

Seguindo a tradição Rider-Waite-Smith, com imagens bem claras e inspiradas no tarot RWS original, o Fenestra Tarot possui verso reversível, usando a imagem de duas rosas cujos caules se tocam, numa ilustração espelhada.

Aqui estão algumas das cartas que se destacam nesse tarot. Em particular, os Arcanos Maiores parece ter tido um pouco mais de atenção da artista, mas o tarot por inteiro é belíssimo.

II. A Sacerdotisa: Uma mulher se senta, plácida, observadora, com uma coroa que me lembra Hathor. Ela sabe das coisas, mas nem a todos revelará os mistérios que guarda.

V. O Hierofante: A figura me faz lembrar de algo inspirado no hinduísmo, com o hierofante sentado com as pernas cruzadas, tendo um disco ao fundo que pode emular também uma enorme aura de sabedoria. Os dois discípulos diante dele trazem um ar de reverência e respeito.

VII. O Carro: A biga é conduzida em meio a turbulentas nuvens de fogo, guiada por duas esfinges. Seu condutor possui uma espada (um kopesh, talvez?) ao invés de um bastão, denotando seu espírito guerreiro, não apenas de liderança e vitória.

XVIII. A Lua: Duas mulheres nuas circundam uma lua dourada, uma acima e outra abaixo, demonstrando não apenas o mistério do Arcano, mas também a sedução que a lua evoca. A falta do cão, do lobo e do caranguejo pode ser estranha aos mais tradicionalistas.

3 de Copas: Três mulheres, uma loira, uma morena e, outra, ruiva comemoram erguendo seus cálices. A festa está em evidência nessa carta de alegria.

4 de Paus: É comum encontrar no 4 de Paus a figura de um homem e uma mulher em uma celebração de matrimônio ao ar livre. Desta vez, a artista coloca duas mulheres celebrando a união, o que me parece trazer uma sensação de ternura ainda maior junto à preparação para o que vem pela frente.

É realmente um tarot muito bonito e simples de compreender, sendo uma boa alternativa tanto para iniciantes como para os mais experientes.

Recomendado para quem:
-deseja um tarot mais artístico
-quer um clone do RWS, mas com um toque especial
-gosta de imagens com inspiração oriental

Não recomendado para quem:
-prefere algo mais sóbrio
-não gosta do traço da artista
-prefere um livreto escrito pelo próprio criador das cartas (não é esse o caso no Fenestra, pois não há indicação das razões da escolha das imagens dos Arcanos)

Fenestra Tarot
Criado por Chatriya Hemharnvibul
Publicado por US Games, 2006
VIII Força, XI Justiça

Pamela Colman Smith

Pamela Colman SmithAcredito que alguns de vocês reconheçam o nome, mas não a face. A pessoa da foto à esquerda é Pamela Colman Smith, responsável por ter criado a arte utilizada no tarot idealizado por Waite e publicado por Rider. É a ela que devemos a tradução dos significados dos números dos Arcanos Menores em imagens.

Contudo, ela não recebeu o mérito devido naquela época. Mesmo pertencendo à Golden Dawn, Ordem Iniciática de que Waite também fazia parte, aparentemente seu irmão de Ordem não lhe deu o apoio necessário para que seu trabalho fosse honrado de maneira correta.

Sabe por quê? Simples. Faça uma pesquisa na internet agora. Acabei de fazer. Note o número de páginas relevantes. Vamos a alguns termos:

  • rider tarot: 655.000 resultados
  • waite tarot: 533.000 resultados
  • rider waite tarot: 482.000 resultados
  • rider waite smith tarot: 174.000 resultados
  • pamela colman smith tarot: 89.600 resultados

O que isso nos mostra? Que a maior relevância foi dada a quem publicou. Depois a quem idealizou, e, por fim, a quem ilustrou. Mesmo se somarmos os resultados das duas buscas que envolvem o nome da ilustradora, não chegamos a 14% do total de páginas na internet.

Deixo a você imaginar a razão disso. Talvez seja porque vivemos numa sociedade patriarcal na qual o papel da mulher acaba sendo relegado à esfera secundária, talvez seja por simples preconceito ou até desconhecimento…

Aí você procura por um tarot tradicional e encontra o tarot de Waite (incluindo o Tradicional de Waite e o Universal de Waite) e o tarot Rider-Waite com facilidade. Vai procurar por um tarot Rider-Waite-Smith e às vezes descobre que nem mesmo os fabricantes decidiram honrar o nome da ilustradora – tudo bem, isso foi retificado com edições comemorativas desse tarot, em especial a Pamela Colman Smith Commemorative Set, que, salvo engano, foi lançado em 2009, mas esperar um século para retificar um erro é muito tempo… Ainda mais numa Arte que não é tão antiga assim.

Em todo caso, replico aqui uma carta que encontrei na página da taróloga Mary K. Greer, escrita por Pamela Colman Smith ao seu mentor na área artística. O grifo, em vermelho, é meu:

Carta de Pamela Colman Smith

Em tradução livre, o trecho grifado diz: “Acabei de terminar um grande trabalho em troca de pouco dinheiro: um conjunto artístico de cartas para um tarot. 80 imagens. Devo enviar algumas das imagens originais, pois algumas pessoas podem gostar delas!

Sim, Pamela, algumas gostaram. E, por conta delas, tornaram-se tarólogos.

Gratidão.