Passividade ou atividade?

Criado por Jacob Andrews

Algumas pessoas têm uma atitude passiva com relação ao tarot. Elas acreditam demais no destino, aceitando que tudo o que acontece com elas é pré-determinado, como se Maktub! fosse a resposta para tudo.

Isso é passividade. É encarar o tarot apenas como um oráculo que visa revelar um destino que não pode ser alterado.

Busco trazer uma outra atitude para meus clientes: quero que eles deixem esse lado passivo de lado e passem a atuar com atividade real. Permito que eles compreendam que não são peões num jogo, mas verdadeiros co-criadores de seus destinos.

Eles passam a compreender que as cartas revelam aquilo que tende a acontecer se nada mudar e, de posse desse conhecimento, passam a atuar de maneira a moldar sua realidade de acordo com sua Verdadeira Vontade.

Manifeste seu destino. Crie seu destino. Mude seu destino.

É assim que você se torna verdadeiro herói na sua vida, e não apenas uma personagem secundária.

Ou, para você, o destino é imutável?

Dark Fairytale Tarot – Opiniões

20151214_201532Logo que o Dark Fairytale (DF daqui pra frente) foi lançado eu me encantei com ele. Em primeiro lugar por causa do tema sombrio, pois eu não tinha nenhum tarot assim na minha coleção. Em segundo, por conta das imagens em fotomanipulação, um estilo de arte de que gosto bastante.

Sempre tive leituras bem precisas e diretas com ele (algo que o DF esclareceu bem no bate-papo), e muitas vezes foi meu tarot de escolha quando tive de ir a eventos. Contudo, algumas de suas cartas conseguiam me incomodar um pouco – elas ilustram esta postagem – mas não por não representarem bem o significado das lâminas: é a própria fotomanipulação que me faz torcer o nariz.

O Arcano XV é o maior culpado. Não consigo olhar para ele sem lembrar do Tim Curtis em A Lenda. Vejo a carta e fico imaginando quando o Tom Cruise (impúbere) vai aparecer e salvar o dia.

Em seguida, vem um quarteto: Arcano IV e os Reis de Paus, Espadas e Ouros (logo lançando um novo álbum). Olho para eles e vejo Théoden, Rei de Rohan…

(Ah, tem também o Saruman como o Arcano V…)

E, por fim, e de maneira mais leve, vem o 6 de Copas. De alguma maneira apenas tangencialmente me remete aos temas de nostalgia, carinho, amor incondicional… É como se algo artificial estivesse ali.

Tirando isso (que, reconheço, pode ser algo que incomode bastante alguns de vocês), é um tarot muito bom e com imagens bem evocativas.

Recomendado para quem:
-gosta de um tarot menos fofinho
-gosta de fotomanipulação
-não sabe quem é o Tim Curtis e o Rei Théoden

Não recomendado para quem:
-não gosta de fotomanipulação
-prefere tarots mais leves e coloridos
-gosta do Tim Curtis e do Rei de Rohan

Dark Fairytale Tarot
Criado por Raffaele De Angelis
Publicado por Lo Scarabeo, 2012
XI Força, VIII Justiça