Steampunk Tarot – Opiniões

20151221_194935-1Sempre gostei da estética steampunk: ciência anacrônica, ideais Vitorianos, engrenagens e corsets… Meu primeiro contato se deu, indiretamente, por conta do meu pai, que me incentivou a ler Vinte mil léguas submarinas, o primeiro (de dezenas) que li de Jules Verne. Foi amor à primeira vista.

Quando vi que Barbara Moore estava por trás de um novo tarot steampunk fiquei extasiado: era uma oportunidade para unir duas paixões. Com uma visita a uma loja online eu tinha já a caixa a caminho de casa.

A caixa acompanhava um livreto muito bem escrito. Logo de cara gostei das observações sobre a sinergia de algumas cartas, coisa que muitos iniciantes deixam de perceber: como todo livreto que acompanha um tarot é geralmente voltado para iniciantes, achei a ideia muito boa (e, em verdade, já recomendei algumas vezes a um neófito que começasse por este ao invés do tradicional RWS).

Por falar nisso, o Steampunk Tarot é um RWS ricamente decorado com sua paleta cobre, bronze e marrom. As personagens das cartas, trajadas de acordo com a estética do tema, têm um ar aventureiro, ousado, e convidativo. Símbolos místicos aparecem em algumas cartas como um sinal de que há algo mais para quem deseja estudar, sem que isso faça com que o tarot se torne obscuro ou hermético. Tudo é bem dosado.

Algumas das cartas que me chamam a atenção neste tarot são:

O Louco: um limpador de chaminés que ficaria bem à vontade numa história de Dickens.

II. A Sacerdotisa: diante de uma bola de cristal e segurando algumas cartas de tarot, pronta a revelar o que nós já deveríamos saber.

III. A Imperatriz: grávida, encantadora, sedutora e dominando as artes místicas.

XIII. A Morte: uma ceifadora alada que deixa os viventes para trás, montada num cavalo (e aí eu lembro da figura do Vingador no desenho Caverna do Dragão: alado, montando um cavalo).

XV. O Diabo: um colosso construído por mãos humanas que agora exige obediência, tornando os criadores escravos de sua criatura.

10 de Paus: uma jovem que carrega mais do que deve nas costas, caminhando pela noite em busca de um lugar seguro enquanto segue cartas de tarot deixadas pelo caminho.

Sei que este é um tarot que não vê tanto uso nas minhas mãos hoje em dia, pois o guardo para momentos que envolvam o tema ao qual ele se remete – tanto que o uso mais em eventos steampunk do que no meu dia a dia. Ainda assim, ele possui algo de especial que chega a ser intangível…

Recomendado para quem:

  • gosta da estética steampunk
  • tem predileção por tarots mais escuros
  • quer um RWS com algo de diferente

Não recomendado para quem:

  • não gosta de engrenagens e corsets
  • acha que a Era Vitoriana deve ficar no passado
  • tem algo contra os tarots feitos pela Barbara Moore

Steampunk Tarot
Criado por Barbara Moore
Publicado por Llewellyn, 2012
XI Justiça, VIII Força

Bate-papo com o Steampunk Tarot

20151221_191540O Steampunk Tarot é um dos mais bonitos de minha coleção. O que será que ele tem a me dizer neste bate-papo?

1. Quem é você?
2 de Espadas. Sou aquele que busca o equilíbrio antes de agir, mas que se lança adiante antes que a inação me deixe tempo demais em cima do muro. Privando-me da visão eu ajo com razão clara e, espero, antes que meus atos se tornem impulsivos.

2. Quais são seus pontos fortes?
2 de Paus. Analisar situações e planejar o que deve ser feito é o que faço de melhor. Quer um insight sobre o futuro próximo? Deixe isso comigo.

3. Quais são os pontos que precisa melhorar?
Pajem de Copas. Não lido tão bem com minúcias ou com a busca de um amor platônico. Sou prático, racional, e, talvez, dotado daquela chama que explica algo exclamando Ciência!

4. Que tipo de leituras prefere fazer?
Pajem de Espadas. Gosto de explorar as possibilidades. Quer saber, hipoteticamente, sobre uma linha de ação que envolva estudo ou mistério? Ótimo! Quer descobrir o mapa para a mente (não o coração) de alguém? Perfeito! Não me venha com perguntas do dia a dia porque quero ser mais do que um tarot mundano!

5. Como você vai me desafiar?
4 de Copas. Braços cruzados e expressão entediada revelam bastante sobre mim… e sobre você. Ambos queremos mais e enjoamos da mesmice. Se as mesmas perguntas (ou variantes das mesmas) estiverem sendo feitas, não espere que eu seja muito receptivo a isso.